Católicos e evangélicos (protestantes), mesmo sendo cristãos, costumam usar palavras que distoam uma das outras mas que na prática costumam acontecer de formas bem semelhantes.

Para o católico, quando ele vai a igreja, costuma ir a missa, para o evangélico é o culto. A missa, segundo o dicionário, tem o significado de “ato mais importante do culto católico e do culto ortodoxo”. Como podem ver, no próprio significado da palavra missa, o culto se torna presente e é parte fundamental para que o mesmo aconteça. Culto, nada mais é que um sinônimo de veneração, amor intenso e no final das contas todos tem que como objetivo ir a busca de mostrar o amor e a adoração que temos por Deus e por seu filho que morreu na cruz para nos salvar.

A palavra “rezar” e “orar” acontece o mesmo que descrevi acima. O significado de rezar é “Falar, dirigir suplicas, orar a Deus”.

E por aí vai…

Daí, muitas vezes, questiono a rixa que existe entre católicos e evangélicos (protestantes). Daí, muitas vezes, não entendo o porquê de quererem tanto que eu me posicione bem mais do que apenas o comentário. Sou cristã!

A palavra cristã é muito mais complexa do que as palavras católicos e evangélicos. Aqueles que se denominam cristãos estão se apresentando como “pequenos Cristos”, ou seja, ser uma cópia submissa de Cristo. Pra mim, seria muito mais fácil alegar ser evangélica ou católica, do que uma imitadora de Jesus.

Realmente, se eu analisar com calma e afinco, tenho defeitos e atitudes que podem ir de encontro com isso que prego e falo, já que, quem sou eu para me considerar uma cópia de Jesus? Mas quando penso na responsabilidade do que estou dizendo, isso me incentiva a melhorar dia a dia e tentar um dia ser merecedora desse adjetivo – cristã.

Por isso que, muitas vezes, não entendo essa necessidade de evangélicos e católicos demonstrarem tanto fervor um com o outro. De um lado as críticas as “religiosidades e hipocrisia” de alguns protestantes, de outro a crítica perfumada de enxofre, ao culto das imagens católicas.

Pra que isso? Aonde essa discussão toda pode nos agregar coisas boas para o reino? Qual o exemplo que nós, cristãos, estamos dando para aqueles que não entendem e não aceitam Jesus Cristo como Senhor e Salvador?

Em minha humilde opinião, essas discussões não levam a nada e não acrescentam nada. Na própria palavra diz que não sabemos e não podemos julgar a conversão de ninguém… Tem gente que não pode julgar nem a própria conversão, que dirá a do próximo.

Chutar imagens, chamar pastores de ladrões, humilhar padres os chamando de pedófilos, debochar das roupas de uma determinada denominação… Se essas são atitudes de cristãos, eu não conheço o mesmo Jesus que eles.

Hoje não vou colocar uma pergunta… Quero gerar debate, saudável, nos comentários. Sobre até que ponto a intolerância entre os católicos e evangélicos, é ou não saudável! #Comente.

Que Deus nos abençoe e traga aos nossos corações o amor ao próximo, acima de todas as circunstâncias.

Anúncios