Há algo em minha vida que luto diariamente contra. Sou boa em planejar, motivar pessoas, até mesmo em aconselhá-las… Evangelista, não é?! Mas luto com minha falta de persistência. Minha ausência, muitas vezes, de perseverança.

Mas a Bíblia retrata a perseverança como um atributo mais do que importante na vida dos que querem servir a Deus. E, consequentemente, na vida da Igreja.

Pedir, buscar, bater. A viúva inoportuna que insistiu até que sua causa fosse julgada; os homens com o enfermo descido pelo telhado, a mulher do fluxo de sangue, a mulher siro-fenícia, a pecadora na casa do fariseu. Personagens que não aceitavam o “desista” como resposta. E Apocalipse que diz tantas vezes: “ao que perseverar até o fim…”.

Creio que a única coisa necessária antes de perseverar é saber a direção. Não adianta insistir num caminho se o correto é ir para o outro lado. E há pessoas que insistem em coisas erradas e Deus, em Sua bondade, não permite que recebam.

Sabe aquela resposta? Persevere. Abandonar? Jamais! Lembra daquela pessoa que o(a) aborrece? Ande mais uma milha e o perdão virá. Sabe aquele irmão ou irmãzinha difícil de ajudarmos a tornar-se discipulo(a)? Insista! É, isso também dá trabalho! “Fazei discípulos”… É preciso perseverança!

No texto de Colossenses 1:27 e 28, Paulo fala dos sofrimentos do ministério. Então comenta sobre o mistério oculto e agora revelado aos gentios… “Cristo em vós, a esperança da glória”. E para nós é a glória do porvir que se materializa imediatamente em irmãos e irmãs semelhantes a Jesus. E para se sonhar uma Igreja assim é preciso MUITA PERSEVERANÇA! E não só de pastores e líderes… mas de todos!

PERGUNTA DA REFLEXÃO: Estamos realmente dispostos a perseverar em nossas vidas e na luta pela edificação da Igreja?

Anúncios